Brasil Aloe Vera Forever

Voltar à Região
Nossa Cidade SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Nossa Cidade SÃO JOSÉ

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - SP

" Cidade da Terra e Ares Generosos "
Aniversário - 27 de JULHO ( 1767 )

Cidade de São José dos Campos

MAPA DA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
Fonte: Google Maps



SOBRE A CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Área da unidade territorial: 1.100 km2
Latitude do distrito sede do município: -23,17944°
Longitude do distrito sede do município -45,88694°
Altitude: 600 m
Gentílico: joseense

Prefeito 2013/16: Carlos José de Almeida - PT 13

População de São José dos Campos
Resultado da Estimativa
IBGE-2013: 673.255 hab.

Fundo de Participação dos Municípios
FPM-2013: R$ 41.513.170,97

Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica
e de Valorização dos Profissionais da Educação
FUNDEB-2013: R$ 208.214.136,86


DADOS ANTERIORES
Prefeito 2009/12: Eduardo Pedrosa Cury - PSDB 45
Estimativa Populacional IBGE-2012: 643.603
Fundo Part. Municípios FPM-2012: R$ 37.613.235,05
Participação FUNDEB-2012: R$ 181.534.139,06
Estimativa Populacional IBGE-2011: 636.876
Fundo Part. Municípios FPM-2011: R$ 37.663.437,49
Participação FUNDEB-2011: R$ 157.435.685,61
CENSO Populacional IBGE-2010: 629.921 hab. (*)
Fundo Part. Municípios FPM-2010: R$ 29.845.390,53
Participação FUNDEB-2010: R$ 141.614.612,16
Estimativa Populacional IBGE-2009: 615.871 hab.
Fundo Part. Municípios FPM-2009: R$ 27.903.444,21
Participação FUNDEB-2009: R$ 113.954.265,30
Prefeito 2005/08: Eduardo Pedrosa Cury - PSDB
Estimativa Populacional IBGE-2008: 609.229 hab.
Fundo Part. Municípios FPM-2008:R$ 30.225.236,72
Participação FUNDEB-2008: R$ 96.332.679,61
Estimativa Populacional IBGE-2007: 594.948 hab. (*)
Fundo Part. Municípios FPM-2007: R$ 24.621.739,12
Participação FUNDEB-2007: R$ 72.585.042,19
Estimativa Populacional IBGE-2006: 610.965 hab.
Fundo Part. Municípios FPM-2006: R$ 21.722.490,85
Participação FUNDEF-2006: R$ 60.341.766,32
Estimativa Populacional IBGE-2005: 600.049 hab.
Fundo Part. Municípios FPM-2005: R$ 19.641.667,63
Participação FUNDEF-2005: R$ 53.120.199,99
Estimativa Populacional IBGE-2004: 589.050 hab.
Fundo Part. Municípios FPM-2004: R$ 15.824.523,23
Participação FUNDEF-2004: R$ 44.850.042,46


Resultados do Universo do Censo 2000

Valor do Fundo de Participação dos Municípios (FPM):
R$ 9.590.725,74

População residente
Total: 539.313
Homens: 266.469
Mulheres: 272.844
Urbana: 532.717
Rural: 6.596

População residente de 10 anos ou mais de idade
Total: 443.184
Alfabetizada: 424.572
Taxa de alfabetização: 95.8%

(2004)
Estabelecimentos de ensino pré-escolar: 204
Estabelecimentos de ensino fundamental: 173
Estabelecimentos de ensino médio: 69
Hospitais: 21
Agências bancárias: 61

Fonte: IBGE

(*) Resposta do IBGE à nossa indagação sobre a Contagem da População 2007, em relação às estimativas anteriores:

A estimativa da POPULAÇÃO baseia-se, dentre outros aspectos, na série histórica para as populações, onde a tendència do conjunto de dados influi no valor estimado.
Os resultados do CENSO DEMOGRÁFICO (2000) e da CONTAGEM DA POPULAÇÃO (2007), apresentam uma maior consistência, visto que são obtidos após trabalho de campo, onde os domicílios são pesquisados.
Observa-se ainda que os novos resultados do CENSO DEMOGRÁFICO e da CONTAGEM DA POPULAÇÃO irão compor a série para novas estimativas.


BREVE HISTÓRIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

O território joseense foi inicialmente ocupado por uma fazenda de pecuária criada oficialmente a partir da concessão de sesmarias, por volta de 1590, a pedido de padres jesuítas.
Essa fazenda localizava-se às margens do Rio Comprido, hoje divisa natural entre São José e Jacareí.

A classificação como fazenda de gado foi um artifício usado pelos jesuítas para ocultar dos bandeirantes uma missão catequetética.

A Lei de 10 de setembro de 1611 que regulamentava a instalação de aldeamentos de índios dispersos, administrados por religiosos, transformou oficialmente a fazenda em missão de catequese. Esse fato causou desagrado aos colonos que muito necessitavam da mão de obra indígena e que tiveram suas ações dificultadas. O resultado desse conflito entre religiosos e colonos culminou com a expulsão dos jesuítas em 1640 e a conseqüente extinção da missão pela própria dispersão dos aldeados.

Alguns anos mais tarde, com o "esquecimento" da expulsão por parte dos paulistas, os jesuítas reapareceram no Vale do Paraíba em nova sesmaria, distante cerca de 15 km a nordeste da aldeia velha, onde hoje se encontra o centro comercial. Do novo local tinha-se uma visão privilegiada da área que circundava a aldeia nova, garantindo maior segurança contra invasões, enchentes e permitindo boa ventilação e insolação. Apesar de ser uma nova missão, era oficialmente tratada como fazenda de gado.

Sabe-se ainda que a organização urbana no plano teórico e prático da aldeia, é obra atribuída ao padre jesuíta Manoel de Leão, cuja principal ocupação era a de ser administrador, estando em São Paulo desde o ano de 1663, encontrava-se à frente das fazendas mais remotas. Entre estas, figurava-se o aldeamento em solo joseense. Em 1692 essa aldeia aparece com o nome de "Residência do Paraíba do Sul" e em 1696 como "Residência de São José".

Com o início do ciclo da mineração, o aldeamento passa por sérias dificuldades devido a saída de braços para o trabalho nas minas. Nota-se, ainda, por parte dos padres um certo abandono em relação ao destino da aldeia. Após a expulsão dos jesuítas do Brasil em 1759, todos os bens dessa ordem religiosa, tais como fazendas, colégio e aldeias passaram para a custódia da Coroa. Esta determinou ao governador, D. Luis Antonio de Souza Botelho Mourão, o Morgado de Mateus, que tornasse essas novas propriedades produtivas. O governador pediu e obteve do Vice-Rei autorização para criar Freguesias e Vilas.

A 27 de julho de 1767 foi formalizada a ereção da Aldeia em Vila de São José do Paraíba.

A emancipação à categoria de Vila não foi um fator determinante para o seu progresso, que por muitos anos manteve as mesmas características de uma pequena vila com predominância do setor rural. A principal dificuldade de São José era o fato de a Estrada Real passar fora de seus domínios. Em meados do século XIX, a Vila de São José do Paraíba já demonstrava alguns sinais de crescimento econômico com o desenvolvimento da agricultura.

O algodão teve uma rápida evolução na região quando São José conseguiu algum destaque e cuja produção atinge seu apogeu em 1864. Nesse mesmo ano, a 22 de abril, a Vila é elevada à categoria de cidade. E, em 1871 recebe a atual denominação de São José dos Campos, seguida pela criação da Comarca em 1872. Quase simultaneamente, há o desenvolvimento da cultura cafeeira no Vale do Paraíba que começa a ter alguma expressão a partir de 1870, já contando, inclusive com a participação de São José.

No entanto, foi no ano de 1886, quando já contava com o apoio da Estrada de Ferro inaugurada em 1877, que a produção cafeeira joseense teve seu auge, mesmo num momento em que já acontecia a decadência dessa cultura na região, conseguindo ainda algum destaque até por volta de 1930. A procura do município de São José dos Campos para o tratamento de tuberculose pulmonar, teria se tornado perceptível no início deste século, devido às condições climáticas supostamente favoráveis.

Entretanto, somente em 1935, quando o município foi transformado em Estância Hidromineral, que São José passou a receber recursos oficiais que puderam ser aplicados na área sanatorial. Com o advento dos antibióticos nos anos 40, a tuberculose começa a receber tratamento ambulatorial, caracterizando assim o fim da função sanatorial até então exercida por São José, num momento que já é crescente a vinda de estabelecimentos industriais para a cidade.

O processo de industrialização do município, toma impulso a partir da instalação do Centro Técnico de Aeronáutica-CTA, em 1950 e também com a inauguração da Rodovia Presidente Dutra, possibilitando assim uma ligação mais rápida entre Rio de Janeiro e São Paulo e cortando a parte urbana de São José dos Campos.

A conjunção desses fatores permitiu que o município caminhasse para o potencial científico-tecnológico em que se encontra.

Região Administrativa: O Estado de São Paulo está dividido político-administrativamente em 11 regiões, sendo São José dos Campos Sede da 3ª Região Administrativa e Integrada por Municípios de todo o Vale do Paraíba Paulista e Costa Norte.

Formação Administrativa Municipal: Oficialmente, o município é constituído por três Distritos: São José dos Campos (sede), Eugênio de Melo e São Francisco Xavier. O Distrito de São José dos Campos é subdividido em dois Subdistritos: 1º Subdistrito de São José dos Campos e 2º Subdistrito de Santana do Paraíba. Para melhor administrar o município de São José dos Campos, o Poder Público dotou os Distritos de Eugênio de Melo e São Francisco Xavier de Administradoeres Distritais, enquanto que o Distrito sede foi dividido em quatro Regionais: Centro, Leste, Norte e Sul.

O Aniversário de São José dos Campos é comemorado em 27 de Julho.

Fonte: PM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Voltar à Região Portal Nosso São Paulo
www.nossosaopaulo.com.br

Nosso São Paulo

 

 

BANDEIRA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

BRASÃO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

PREVISÃO DO TEMPO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
Fonte: CPTEC/INPE


INFORMAÇÕES ADICIONAIS
(CLICK nos LINKs)

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

CÂMARA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

INPE - INST. NAC. DE PESQUISAS ESPACIAIS


ITA - INST. TEC. DA AERONÁUTICA

JORNAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

JORNAL VALE PARAIBANO

RÁDIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

RÁDIO STEREO VALE FM

RÁDIO BAND VALE

HOTEL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

COLOQUE O SEU HOTEL AQUI

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA

Faça AQUI sua PESQUISA DE PREÇOS!!!
Basta digitar o ITEM desejado (TV, Geladeira, Fogão, MP3, Computador, etc). e pressionar o botão 'Comparar Preços':
Compare Preços
Digite o produto ou marca (ex:"DVD")

Voltar à Região

CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Acompanhe-nos pelo TWITTER:

PORTAL NOSSO SÃO PAULO
@nossosaopaulo


CLICK AQUI ou no botão com o nome da cidade, no alto da tela, e nos envie a sua
Declaração de Amor a
SÃO JOSÉ DOS CAMPOS !!!